Mulher entra na Justiça contra Bolsonaro e exige auxílio emergencial de US$ 1 mil

Uma moradora do Rio de Janeiro abriu um processo para receber parte do valor do Auxílio Emergencial. Isto porque o Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (Sem Partido) disse, durante a reunião da Organizações das Nações Unidas (ONU), que pagou US$ 1 mil.

O valor dito por Bolsonaro em dólares, se convertidos em moeda brasileira, no caso o real, de acordo com a cotação atual que é R$ 5. 54 equivale a R$ 5.540. A mulher alega que só recebeu R$ 2,4 mil, dividido em quatro parcelas de R$ 600.

De acordo com o número de parcelas que os beneficiários receberam, o valor mencionado por Bolsonaro se somar chegam a R$ 4,2 mil. A defesa da mulher, que exige o respaldo do Auxílio, disse que sua cliente deve receber os R$ 5.540 se calcular os mil dólares.

A defesa disse também que de acordo com a fala do presidente, a sua cliente tem todo direito de exigir que ela receba a diferença entre o que recebeu e o que foi declarado pelo presidente. O benefício passou por votação e aprovação no Senado e o próprio Bolsonaro assinou.

Foi dito também pela defesa, que os valores já recebidos serviram de extrema importância. No entanto, não foram suficientes para cobrir os gastos como saúde e moradia. A defesa pede também uma indenização por danos morais, que somando os valores chegam a R$ 9.420.

União não emitiu respostas sobre pedido de auxílio da mulher

Uma notificação chegou até à União Federal solicitando que se manifeste em até 10 dias. Se caso a União contestar, precisa apresentar a contestação no prazo máximo de 30 dias.

A participação de Bolsonaro foi na terça-feira (22), na 75ª Assembleia Geral da ONU. Os assuntos abordados durante a reunião foram sobre meio ambiente, queimadas na Amazônia e combate à pandemia.

O Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto. Nem mesmo o presidente que sempre gosta de comentar assuntos como estes.

Deixe um comentário